Sim , porque tudo tem um fim

Maio 1, 2010

O Seis25 cumpriu o seu papel. Durante longos meses deu conta da perspectiva dos seus autores sobre os mais diversos assuntos em redor do basquetebol. Fomos capazes de, modéstia à parte, em largos períodos nestes três anos, trazermos para a discussão pública ângulos e temas de debate diferentes dos habituais, o que só pode ser enriquecedor. Fizémos perguntas, trouxémos indignações, realizámos entrevistas, acompanhámos duelos. Pusémos gente a pensar basquetebol e pensámos basquetebol.

Ao fim de tanto tempo, o projecto deixou de ter sentido e motivação para quem o fazia. Haverá outros projectos e outras lutas. A necessidade de actualização e manutenção do espaço ditaram que fosse melhor, no seu fim, dar-lhe uma dignidade semelhante à vitalidade demonstrada até aqui. A paixão pelo jogo e a amizade pelo companheiro de combate, essas ficam.

Aos leitores, um abraço sincero de agradecimento pelas passagens pelo blogue e pelas leituras.

João Cruz

PS1 – Depois da primeira, a segunda não dói nada … https://seis25.wordpress.com/2009/02/05/a-despedida/

PS2 – Mike, até já. Por ai

“O valor das coisas não está no tempo que elas duram, mas na intensidade com que acontecem. Por isso, existem momentos inesquecíveis, coisas inexplicáveis e pessoas incomparáveis.”FP


Porque tudo tem um fim

Abril 30, 2010

8 de Agosto de 2007, foi o dia em que demos início à experiência Seis25.

Corria o calor quente de Agosto, amenizado pela força do vento vindo do norte. A nossa selecção preparava-se para atacar o Eurobasket ’07, o tal Campeonato da Europa que viria a revelar-se histórico para o basquetebol nacional, ao mesmo tempo que a Liga Profissional dava os seus últimos passos.

Começa aqui mais um espaço na web que pretende falar sobre esta espetacular modalidade que é o basquetebol. Serão expostos textos, ideias, vídeos, abordagens ao jogo, exercícios, etc. Poderá ser também um meio de divulgação de eventos de basket que se realizem em Portugal.

Queremos que seja um espaço no qual todos possam participar através de comentários e sugestões, pois como em tudo na vida, não existem verdades absolutas,e a discussão pode ser proveitosa, desde que objectivo seja informar e partilhar conhecimento.

Ao longo destes, quase, 3 anos acompanhámos as mudanças no basquetebol nacional, os títulos, alguns dos problemas, os momentos altos. Espreitámos alguns dos melhores campeonatos de basquetebol do Mundo, tentámos dar a conhecer alguns dos destaques individuais e colectivos espalhados pelos pavilhões de basket dos vários Continentes. Cumprimos o nosso objectivo: falar da modalidade que desde cedo nos apaixonou e dar a nossa opinião em relação a variados temas. Os comentários feitos nas várias notícias nunca foram no sentido de atacar ou denegrir alguém, e isso também é alvo de alguma satisfação pessoal.

No entanto, nos últimos tempos a saturação começou a apoderar-se, e a vontade de escrever diariamente sobre basquetebol foi, aos poucos, desaparecendo. Por isso, e para não deixar este espaço ao abandono, aqui deixo a minha despedida, esperando ter dado um pequeníssimo contributo para o basquetebol.

Não sei se alguém aprendeu algo ao ler o Seis25, espero que sim. E se realmente alguém aprendeu o que quer que fosse, então a nossa missão foi cumprida. Por mim, fechamos uma etapa na qual muito aprendi e que deu um gozo tremendo levar a público.

Um abraço a todos e vamo-nos vendo por aí, onde houver uma bola a saltar e uma tabela para atacar.

Miguel Tavares


E agora?

Abril 10, 2010

CSKA Moscovo, Olympiacos, Partizan Belgrado, Regal FC Barcelona garantiram a presença na Final4 de Paris.  Quatro potências do basquetebol europeu, todos eles antigos campeões da Europa irão disputar o título da Euroliga de 2010, sendo que russos, gregos e espanhóis repetem a presença na Final do ano anterior.  Aliás, a única equipa que esteve na Final de 2009 e não estará em 2010 é o Panathinaikos, campeão em título!

No seu lugar estará a equipa de Belgrado, o Partizan. Para os sérvios chegarem à Final4 tiveram de superar os israelitas do Maccabi Electra, e após a preciosa vitória conquistada em Israel a equipa da capital sérvia fez valer o factor casa e jogando perante 21000 espectadores. Fazendo o 3-1 na série, o Partizan Belgrado avança para a Final4 onde irá defrontar, nas Meias-finais, o Olympiacos.

Os gregos também garantiram a passagem a Paris após um resultado acumulado de 3-1, frente a uma das grandes surpresas da prova, o Asseco Prokom. Após duas vitórias confortáveis em casa, a viagem do Olympiacos à Polónia começou com uma derrota, o que permitiu à equipa do Asseco continuar a sonhar com o apuramento para a Final4. Contudo, no Jogo 4, a equipa de Atenas voltou a demonstrar o seu poderio, e o seu vasto leque de opções individuais, vencendo por 16 pontos de diferença, e garantindo a segunda presença consecutiva numa Final4 da Euroliga.

Quem também repete a presença na Fase Final da competição são os moscovitas do CSKA. Aliás, a equipa russa garante a oitava participação consecutiva na Final4, mostrando que apesar de perder alguns jogadores importantes continua a marcar presença nos momentos de decisão do basquetebol europeu. Para chegar a Paris ultrapassaram os bascos do Caja Laboral, vencendo o Jogo 4, disputado em Vitória. No jogo decisivo, os russos chegaram a estar a perder por 10 pontos de diferença, mas a inspiração de JR Holden ajudou em muito a garantir o carimbo para a tão desejada Final4, onde irão defrontar outra equipa espanhola, desta feita o Regal FC Barcelona.

Após a surpreendente vitória na Catalunha, esperava-se que o Real Madrid aproveitasse o factor casa para poder garantir que avançaria para a Final4. Para isso necessitaria de vencer dois jogos frente ao seu arqui-rival, o Regal FC Barcelona orientado por Xavi Pascual. Contudo, nem o facto de jogar perante 13500 adeptos ajudou a que a equipa da capital espanhola conseguisse vencer um único jogo. As prestações de Juan C. Navarro, MVP da semana da Euroliga, muito contribuíram para que os catalães averbassem duas vitórias fora de portas, fundamentais na caminhada para repetir a presença na Final4.


Porquê?

Março 28, 2010

Ontem no Dragão Caixa espectacular ambiente. Pavilhão quase cheio para ver eternos rivais jogar Basquetebol. Vitória justa do Porto, num jogo chato na primeira parte e bom na segunda. Valeu o dedo de Moncho a defender, o acerto exterior de Carlos Andrade e João Figueiredo e as penetrações loucas de Jeremy Hunt.

Todavia, tive o “azar” do meu bilhete ser para o topo sul, atrás das claques. Continuo sem perceber como se opta por puxar pela nossa equipa a partir da selvática injúria às mães dos jogadores da equipa adversária. É certo que não foi durante todo o jogo mas invariavelmente os super (super quê? super energúmenos…) lá entoavam o já mítico “slb slb slb, filhos da …” ou o “em cada lampião há um…”. No final do jogo, com os coniventes sorrisos dos policias, quais cães de ataque, os ultra encheram a cabeça do coitado do Élvis Évora de insultos, e mimaram o Sérgio Ramos e o Henrique Vieira com uma assobiadela monumental, que quase se opunha às palmas à equipa… Durante o jogo foi inacreditável o que os pais portuenses ao meu lado foram fazendo com os filhos..incentivando-os a prolongarem os insultos vindos da claque com os dedos do meio de ambas as mãos em riste ou mostrando cachecóis vermelhos com a palavra merda, só para citar alguns exemplos…

Sinceramente não consigo entender isto. Acho que o jogo não pode deixar de fora as emoções , mas a selvajaria premeditada e culturalmente instituída é lastimável.


Ponto da situação

Março 21, 2010

(clicar nas imagens para ver melhor)

East Regional

Midwest Regional

South Regional

West Regional

Jogos de hoje, hora portuguesa

16H10 Syracuse-Gonzaga 87-65

18h20 Ohio State – Georgia

18h30 Maryland – Michigan State

18h40 West Virginia-Missouri

18h50 Wisconsin-Cornell

20h50 Pittsburgh-Xavier

21h Perdue-Texas A&M

21h15 Duke-California

Fonte:Wiki,NCAA


Melhor dia de abertura da história?

Março 19, 2010

Parece que os resultados do dia de abertura da Grande Dança de 2010 querem dar razão ao Comité da NCAA acerca do alargamento do número de equipas participantes no March Madness.

Naquele que já é considerado por alguns como o melhor dia de abertura do Torneio da NCAA, vários foram os jogos em que equipas menos cotadas no ranking da presente temporada bateram e mandaram para férias equipas que à partida estavam melhor posicionadas para avançar para as fases seguintes da Grande Dança. Deixamos aqui os jogos em que as equipas pior posicionadas venceram os seus adversários:

  • Wake Forest (#9) venceu Texas (#8) por 81-80 com um lançamento convertido a 1.3 segundos do fim;
  • Northern Iowa (#9) mandou UNLV (#8) para casa com o resultado final de 69-66. Beneficiou de um triplo convertido nos últimos 5 segundos de jogo;
  • Saint Mary (#10)  derrotou Richmond (#7) por 80-71;
  • Washington (#11) bateu Marquette (#6) por 80-78, convertendo um lançamento com menos de 2 segundos para jogar;
  • Old Dominion (#11), a Universidade de Ticha Penicheiro, venceu Notre Dame (#6) de Luke Harangody por 51-50;
  • Murray State (#13) venceu, ao soar da buzina Vanderbilt (#4) por 66-65;
  • Ohio (#14) bateu a favorita Georgetown (#3) por 97-83.

Mas a grande surpresa esteve para acontecer no jogo entre Villanova (#2) e Robert Morris (#15). A equipa de Scottie Reynolds esteve a perder por 8 pontos perto do final do jogo, mas conseguiu levar o jogo para prolongamento evitando assim um resultado surpreendente. Na próxima ronda, os Wildcats de Villanova irão defrontar Saint Mary, uma das surpresas do primeiro dia do Torneio da NCAA.

Hoje segue a Dança. Continuarão os resultados surpreendentes?


Salta menino salta

Março 18, 2010