Jogada ‘Punho’

Outubro 30, 2008

Parece que o leste europeu deixa os americanos um pouco alterados…Primeiro foi Loren Woods ao serviço do Zalgiris que mostrou ter talento para outros desportos.

Mais recentemente foi a vez de Joseph Blair que a jogar pelo Spartak S. Petersburgo fez uso do seu arcaboiço para outras coisas que não ganhar posições interiores, ganhar ressaltos ou desarmar lançamentos dos adversários.

Será do frio?

Anúncios

O novo portal

Outubro 30, 2008

A tão anunciada reformulação do portal da Federação Portuguesa de Basquetebol já está disponível. Em www.fpb.pt podemos encontrar a nova imagem da FPB. Se é amigo do utilizador ou não, ainda não descobri e só a utilização do portal poderá responder a essa pergunta. Mas se essa era uma das principais lacunas da antiga página, penso que agora esteja melhor. Quanto à imagem considero melhor que a anterior, mas….

E vocês, que pensam do novo portal da FPB?


É isto o espectáculo??

Outubro 30, 2008

Ontem fiquei acordado até mais tarde porque tinha alguma curiosidade em acompanhar dois jogos transmitidos na televisão: primeiro o jogo da NBA que a SportTV transmitia – San Antonio Spurs vs Phoenix Suns. Para depois passar para a RTP Memória e ver o jogo entre o “meu” Esgueira e o Super-Benfica – provavelmente a melhor equipa de sempre do basket português.

Enquanto não começava o da RTP Memória lá me ia entretendo com o jogo da NBA, e via uma equipa de Phoenix a jogar de forma diferente, mas que poderá entrar na luta pelos primeiros lugares já que, na minha opinião, tem um dos melhores plantéis da NBA – Steve Nash, Goran Dragic, Raja Bell, Leandro Barbosa, Grant Hill, Matt Barnes, Boris Diaw, Amare Stoudamire, Shaquille O’Neal e Robin Lopez….parece-me interessante!

No início do jogo, Michael Finley teve um ataque de saudades e decidiu abraçar imediatamente Shaquille O’Neal. Estavam decorridos 5 segundos de jogo. Ok, pareceu um interessante momento de humor de uma equipa que até à data não parece ser muito dada ao divertimento. Os sorrisos ficaram-se por aí. As faltas sobre Shaq nem por isso…

O jogo estava equilibrado, com Phoenix no comando do marcador, e eis que quando faltam dois minutos para acabar a primeira parte os jogadores dos Spurs recorrem à famosa estratégia do ‘Hack-a-Shaq’! Repito: a dois minutos do final da primeira parte do primeiro jogo da época!!!! Queriam ver se o homem contínua com a sua excelente percentagem da linha de lance-livre? Pelo que se viu ontem, não contínua e espero que assim se mantenha! Queriam apenas responder à provocação de Shaq? Queriam ver se esgotavam a paciência ao Diesel até que ele decidisse agredir alguém e ser suspenso? Quase que aconteceu e o Udoka deve ter pensado duas vezes naquilo que Gregg Poppovich lhe dizia para continuar a fazer! Queriam ganhar o primeiro jogo da época para não perderem vantagem em casa? Não conseguiram! Nem quando recorreram ao ‘Hack-a-Shaq’ nem quando decidiram que aquilo ainda era um jogo de basket! Queriam promover o espectáculo e vender mais camarotes e lugares no ATT Center? Se era isso escolheram a estratégia de marketing errada!

Mas mais importante que tentar perceber as razões que levaram os San Antonio Spurs a fazer o que fizeram, é tentar perceber como é que a NBA, enquanto liga virada completamente para o espectáculo, para a imagem e para as vendas permite que estas situações passem em claro!! Uma liga que priveligia o espectáculo, a diversão, a imagem passa anos e anos sem rever uma lacuna nas suas regras e continua a permitir que as equipas vão fazendo anti-jogo? Conitnuam a permitir que algumas equipas joguem de maneira anti-desportiva?

Pelo menos escolheram o slogan certo….’NBA – Where amazing happens’!


Sentido estético

Outubro 29, 2008

Admiro a capacidade que este homem tem de surpreender! Primeiro foi a famosa ‘Cauda de Pato’, depois, como aqui referimos a 5 de Dezembro de 2007, foi a vez da aposta com Deshawn Stevenson e agora isto….

Não sei o que é que os adversários dos Chicago Bulls mais vão temer este ano: se a velocidade e leitura de jogo de Derrick Rose, a capacidade de lançamento exterior dos bases e extremos de Chicago, ou a presença assustadora de Drew Gooden nas áreas próximas do cesto. Drew Gooden e Joakim Noah…que dupla!!


Senta-te Vujacic…

Outubro 29, 2008

Pedimos desculpa pela qualidade de imagem, mas foi o melhor que se encontrou!

PS – A noite de ontem lá serviu para mostrar que temos rookies – Rudy Fernandez (16 pontos e 4 assistências não chegaram e os Lakers venceram por 20 de diferença) e Derrick Rose (11 pontos e 9 assistências na vitória frente aos Bucks) já começam a puxar dos galões!! Apesar de não serem candidatas a nada, parece-me que Bulls e Trail Blazers vão ser duas das equipas que vou seguir com mais atenção esta época! Ah…e o Greg Oden voltou a lesionar-se.


A maratona vai começar

Outubro 28, 2008

Aos seus lugares, o espectáculo vai começar!

30 equipas em competição, cada uma a disputar 82 jogos na Fase Regular. No final, lugar ainda para os emocionantes Playoff, onde as defesas apertam, os heróis aparecem e 16 equipas – as 8 melhores de cada Conferência – disputam o almejado título.

Este ano, a época fica desde já marcada por dois aspectos com uma grande inter-ligação entre si: a crise económica e financeira que abala os Estados Unidos da América (bem como outros países mundiais que até aqui eram vistos como exemplos a seguir) e as transferências de alguns jogadores para clubes europeus – tendência cada vez maior nos últimos anos.

Numa época em que o Mundo faz contas aos trocos, a NBA continua a fazer render este negócio de milhões, procurando novas fontes de receitas, renegociando contratos, apostando em estratégias de marketing adaptadas à situação económica que se vive nos Estados Unidos da América. Os dólares continuam a chover para os jogadores e treinadores mas as equipas pararam de contratar pessoal para os ‘bastidores’ do espectáculo.

Por outro lado, o Euro contínua a ser a moeda forte e a desvalorização sofrida pelo Dólar dos EUA nos últimos anos permite que as equipas europeias tenham maior margem de negociação com alguns jogadores. Sem serem as estrelas maiores nas suas equipas NBA, há quem veja o ingresso em clubes europeus como uma excelente opção – salários mais elevados, tratamento de super-estrela com todas as ‘mordomias’ a que têm direito, menos jogos realizados logo menos desgate logo maior probabilidade de poder prolongar a carreira desportiva e assim poder aumentar a conta bancária. E face à crescente competitividade dos campeonatos nacionais da Europa, face ao aumento de qualidade constante das equipas (tanto das que disputam a Euroliga, como também da grande maioria das que disputam a ULEB) jogar na Europa é cada vez menos uma solução de recurso para qualquer jogador.

Quanto à competição este ano, os holofotes parecem estar virados para as equipas finalistas da última época: Boston Celtics – os actuais campeões – e LA Lakers voltam a ser considerados favoritos pela grande maioria dos analistas desportivos dos EUA, reeditando assim, e mais uma vez um dos maiores duelos da história da NBA. No entanto, há um conjunto de equipas a preparar-se para quebrar a hegemonia destas potências – New Orleans Hornets, Detroit Pistons, San Antonio Spurs, Cleveland Cavaliers e Utah Jazz parecem ser as equipas em melhor posição para ombrear com os já referidos LA Lakers e Boston Celtics.

Boston mantém o núcleo da época passada, tendo perdido um dos seus especialistas defensivos e um dos jogadores com melhor rendimento ofensivo a sair do banco de suplentes – James Posey. Durante o Verão contrataram Darius Miles, mas entretanto deixaram de contar com o jogador que nas duas últimas épocas nem jogou. Os Lakers podem finalmente contar com o ‘reforço’ Andrew Bynum que na época passada, devido a lesão, esteve impedido de dar o seu contributo à equipa durante a parte final da Fase Regular e durante todos os Playoff. O quarteto Odom-Bryant-Gasol-Bynum promete muitas dores de cabeça aos seus adversários.

Mas que ninguém se esqueça da equipa com mais títulos conquistados nas últimas dez temporadas – os San Antonio Spurs. É que além de manterem a equipa base dos últimos anos, este ano têm algo que joga a seu favor: 2009 é ano ímpar, e os 4 títulos conquistados pelos Spurs foram em ano ímpar!

Ao longo do ano, continuaremos a acompanhar esta competição dando atenção ao que se vai passando do lado de lá do Atlântico!

Para já, marquem na agenda. Este ano teremos sete jogos por semana.


A quinta da Proliga

Outubro 26, 2008

Análise à 5ª jornada da Proliga, escrita no Planeta Basket. Para ler, clique aqui.