Uma a menos

Novembro 28, 2009

A desistência da equipa do Sporting Figueirense da sua participação na Liga Feminina 2009-2010 confirmou-se. Uma notícia que surgiu como um boato, mas que alguns dias depois veio mesmo a confirmar-se.

É mais um momento pouco feliz para o basquetebol nacional, com mais uma equipa a abdicar da sua participação na principal competição do basquetebol português: na temporada passada foi o Belenenses a desistir da Liga Portuguesa de Basquetebol após alguns jogos realizados, agora foi a vez do Sporting Figueirense.

Recordamos que esta equipa da Figueira da Foz competiu no Campeonato Nacional da 2ª Divisão na temporada anterior, e demonstrou uma superioridade incontestável neste campeonato garantindo a subida ao Campeonato Nacional da 1ª Divisão. No entanto, e face às desistências de outros emblemas que militavam na Liga Feminina (Esgueira e Desp. Póvoa) a equipa figueirense acabou mesmo por subir directamente para a competição máxima do basquetebol feminino. Chegou Novembro e a sua participação terminou. Não estavam reunidas condições financeiras para continuar.

Esta é uma forte machadada numa competição que procura ganhar maior credibilidade e visibilidade tanto no panorama do basquetebol nacional – no qual continuam a dizer que são o patinho feio da FPB – como na comunicação social e na população em geral.

No comunicado da direcção do Clube, podem ler-se mais críticas à FPB e aos custos de arbitragem que os emblemas nacionais têm de suportar para participar nestas competições. Muitos são os clubes que se queixam das avultadas quantias a pagar à FPB por mês. Numa fase em que as empresas continuam renitentes em apoiar clubes desportivos e nas quais as verbas dos organismos estatais tendem a escassear, a maioria dos clubes vai baixando os seus orçamentos. No entanto, uma fatia do bolo parece não diminuir e os custos de arbitragem vão sendo um obstáculo cada vez maior para alguns clubes.

Não haverá nada que a Federação Portuguesa de Basquetebol possa fazer para diminuir os custos que os clubes têm para com a FPB relativamente à arbitragem? Quem quer participar nas principais competições tem de reunir dinheiro para pagar aos seus: atletas, equipa técnica, equipa médica, transportes, policiamento, etc., etc. E a comissão que rege a arbitragem não deveria ter de fazer algo semelhante com os que estão sob a sua alçada? Ou isso custa muito?

Anúncios

Queres brincar, brincas no banco

Novembro 22, 2009

Nate Robinson, jogador dos New York Knicks lembrou-se de lançar no seu próprio cesto poucos centésimos depois de acabar o 1º período. Mike D’Antoni, o seu treinador, não achou muita piada à brincadeira e Robinson levou uma ensaboadela pelo seu atrevimento.

Consequência disso ou de algo mais, o base dos Knickerboxers só voltou a levantar-se do banco durante descontos de tempo ou para aplaudir colegas, já que minutos de jogo não os voltou a ver!


Monarquia chega ao fim

Novembro 21, 2009

Ao que parece, as Sacramento Monarchs chegaram aos seus últimos dias, e já nem irão competir na próxima temporada. Segundo consta, os proprietários da equipa, os irmãos Maloof, preferem apostar somente na equipa masculina de Sac-Town: os Sacramento Kings.

Ticha Penicheiro poderá continuar a formar equipa com as suas colegas, mas noutra cidade que não Sacramento. A base da Figueira da Foz também poderá dar outro rumo à sua carreira, procurando uma nova equipa para jogar.


E se Ricky Rubio fosse português?

Novembro 20, 2009

Porque o texto está muito bom, deixo aqui a ligação: E se Ricky Rubio fosse português?


Passo à frente ou passo atrás?

Novembro 16, 2009

Brandons Jennings marca pela diferença: vai para a Europa em vez de seguir a habitual carreira na NCAA, escolhe uma marca de roupa e calçado – Under Armour – que quer vingar e que não representa nenhum atleta de destaque, por vezes fala em demasia, e joga disto como poucos!

Até ao momento, o rookie dos Bucks tem espalhado qualidade por onde passa: em 7 jogos tem as médias de 25,6 pontos e 5,1 assistências por jogo. Nada mau! E as suas duas últimas partidas foram qualquer coisa de especial:

  • 55 pontos marcados frente aos Golden State Warriors – é verdade que a equipa da Bay Area não conhece o termo defender, mas um rookie marcar 55 pontos num jogo, merece sempre destaque!
  • 32 pontos e 9 assistências para Young Money na noite anterior frente aos Denver Nuggets.

Até que ponto se poderá avaliar a influência da experiência europeia em Brandon Jennings? Essa vivência está a ter algum peso na qualidade de jogo do base norte-americano, ou vir para Roma foi um passo atrás e se tivesse ficado pela Universidade de Arizona estaria ainda melhor?

Qual a vossa opinião?


Lição de desportivismo

Novembro 16, 2009

Ron Artest mostra as suas boas maneiras frente à antiga equipa. Não houve grande sentido de desportivismo, mas que tem piada tem!

Mas no final, com calçado ou sem ele, os Rockets acabaram por vencer em Los Angeles! Rick Adelman continua a mostrar serviço. E de que maneira!!


Só preciso de 12 minutos

Novembro 13, 2009

Fazer bem em pouco tempo parece ter sido o lema de Bouroussis, o grego do Olympiakos que actua nas posições interiores da equipa de Atenas.

No último jogo da sua equipa na Euroliga, Ioannis Bouroussis jogou apenas 12 minutos e 6 segundos na vitória do Olympiakos frente ao Efes Pilsen. No entanto, aproveitou da melhor forma o tempo que esteve em campo, demonstrando uma eficácia tremenda. Assim, o poste grego terminou o jogo com 23 pontos, 1 ressalto, 2 assistências e 2 desarmes de lançamento, somando assim um total de 32 pontos MVP.

Nos últimos tempos Bouroussis vem-se afirmando como um dos jogadores gregos em maior destaque, tanto no seu clube como na selecção, e graças a esta sua eficaz prestação foi considerado o MVP da Jornada da Euroliga.