Uma a menos

A desistência da equipa do Sporting Figueirense da sua participação na Liga Feminina 2009-2010 confirmou-se. Uma notícia que surgiu como um boato, mas que alguns dias depois veio mesmo a confirmar-se.

É mais um momento pouco feliz para o basquetebol nacional, com mais uma equipa a abdicar da sua participação na principal competição do basquetebol português: na temporada passada foi o Belenenses a desistir da Liga Portuguesa de Basquetebol após alguns jogos realizados, agora foi a vez do Sporting Figueirense.

Recordamos que esta equipa da Figueira da Foz competiu no Campeonato Nacional da 2ª Divisão na temporada anterior, e demonstrou uma superioridade incontestável neste campeonato garantindo a subida ao Campeonato Nacional da 1ª Divisão. No entanto, e face às desistências de outros emblemas que militavam na Liga Feminina (Esgueira e Desp. Póvoa) a equipa figueirense acabou mesmo por subir directamente para a competição máxima do basquetebol feminino. Chegou Novembro e a sua participação terminou. Não estavam reunidas condições financeiras para continuar.

Esta é uma forte machadada numa competição que procura ganhar maior credibilidade e visibilidade tanto no panorama do basquetebol nacional – no qual continuam a dizer que são o patinho feio da FPB – como na comunicação social e na população em geral.

No comunicado da direcção do Clube, podem ler-se mais críticas à FPB e aos custos de arbitragem que os emblemas nacionais têm de suportar para participar nestas competições. Muitos são os clubes que se queixam das avultadas quantias a pagar à FPB por mês. Numa fase em que as empresas continuam renitentes em apoiar clubes desportivos e nas quais as verbas dos organismos estatais tendem a escassear, a maioria dos clubes vai baixando os seus orçamentos. No entanto, uma fatia do bolo parece não diminuir e os custos de arbitragem vão sendo um obstáculo cada vez maior para alguns clubes.

Não haverá nada que a Federação Portuguesa de Basquetebol possa fazer para diminuir os custos que os clubes têm para com a FPB relativamente à arbitragem? Quem quer participar nas principais competições tem de reunir dinheiro para pagar aos seus: atletas, equipa técnica, equipa médica, transportes, policiamento, etc., etc. E a comissão que rege a arbitragem não deveria ter de fazer algo semelhante com os que estão sob a sua alçada? Ou isso custa muito?

One Response to Uma a menos

  1. Luciano diz:

    É realmente muito triste.
    Acompanho a equipa feminina onde joga a minha namorada e o problema é a mentalidade. Apenas o futebol (ou futsal) movimenta pessoas. Todas as semanas assisto a esse fenómeno: um pavilhão cheio para ver os juniores ou os cadetes (não sei se tem esta designação) a jogar futsal e as seniores que jogaram antes ou vão jogar a seguir, podem contar facilmente do banco de suplentes as pessoas que estã nas bancadas que, mal a vez, ultrapassam os elementos para lá da barreira que separa o público dos intervenientes no jogo.
    Com o público vem dinheiro.
    Há falta de divulgação? É verdade.
    Há falta de qualidade? Não é por aí…
    Se vivêssemos nos Estados Unidos… se calhar nem era preciso ir tão longe, bastava vivermos aqui ao lado… mas não vivemos…
    É o país que temos, e cabe-nos a nós, os que gostam da modalidade, tentar alterar as mentalidades.
    Obrigado pelo contributo que dás ao basket com este blog.
    Continua o bom trabalho!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: